Economia Compartilhada – O que é? Como funciona?

 Economia Compartilhada Dados Curiosos

Antes de explicar para você o que é economia compartilhada e a forma de que ela está mudando a maneira de consumir no mundo atual vou partilhar com você alguns dados que fatalmente irão fazer você olhar com outros olhos para forma de se consumir.
Imagine você que no final de semana passado mais de 40.000 pessoas alugaram aposentos de um serviço que oferece mais de 250.000 quartos em 30.000 cidades em 192 países. Essas pessoas escolheram seus quartos e pagaram tudo on-line. E tem mais, essas acomodações foram fornecidas por particulares em vez de uma cadeia hoteleira.
Pois é!!! Isso está ocorrendo de agora. Esse “acordo” entre anfitriões e hóspedes é intermediado pela Airbnb, uma empresa com sede em São Francisco. Desde o seu lançamento em 2008, mais de 4 milhões de pessoas já utilizaram os serviços prestados por ela – 2,5 milhões deles apenas em 2012. (fonte)
Esse e mais outros exemplos que virão são consequência da tecnologia que além de reduzir os custos de transação também facilitou a indicação e a avaliação das pessoas envolvidas dado maior segurança a esse modelo de negócio.

O que é uma “economia compartilhada”

Economia compartilhada é um modelo econômico no qual os indivíduos podem emprestar ou alugar seu próprio ativo subutilizado para outra pessoa, ou seja, um passivo que você tem em casa como, por exemplo, um vestido de noiva se transforma em um ativo gerando valor tanto para quem aluga quanto para o dono do bem.
Para um maior entendimento, economia compartilhada também pode ser chamada de consumo colaborativo que pode-se ser explicado da seguinte forma. De um lado há um bem ou serviço e do outro lado há outra pessoa que quer usufruir desse bem ou serviço.
E o que ocorrer que a pessoa que quer usufruir do bem trata diretamente com o dono do bem ou serviço ao invés de tratar com uma empresa.
Aqui eu posso dar outro exemplo que é o Uber onde o serviço é compartilhado. Lembre-se que é o serviço e não o carro que é o ativo nesse caso. Outro exemplo é a bikeshare onde se aluga a sua bicicleta para outra pessoa para outra pessoa que só quer dar um passeio de bicicleta, porém não quer comprá-la.

Na figura abaixo você pode verificar vários modelos de economia compartilhada.

 

Economia compartilhada e F15D Network uma invenção brasileira

Uma modelo de economia compartilhada muito interessante que está surgindo no Brasil é a F15D Network.
Trata-se de uma Startup que tem por objetivo fazer que as redes sociais dos membros de sua comunidade cresçam rapidamente e com isso possam monetizar por meio delas.
Esse modelo de compartilhamento faz que cada membro da comunidade doe uma pequena parcela de seu tempo ajudando que outros participantes da comunidade cresçam e em troca os outros membros ajudam a crescer a rede desse membro.
Essa ajuda gera uma crescimento exponencial dos seguidores da rede social do indivíduo e com esses seguidores é que se vai ocorrer a monetização.
Dentro da comunidade há diversas formas de monetização e também aulas são dadas para os que os membros fiquem cada vez mais capacitados gerando desse modo verdadeiros especialistas em redes sociais podendo até prestar consultoria e monetizar mais ainda.

Vantagens da economia compartilhada

1. Mercadorias e serviços mais baratos

A economia compartilhada baseia-se na idéia de que a partilha de certos bens, serviços e habilidades é mais eficiente. Isso pode reduzir os custos de bens, serviços e horário disponíveis. Por exemplo, se você só precisa usar uma furadeira uma vez por ano, é muito mais barato pagar 40 reais para alugar uma de um vizinho do que gastar 400 reais ou mais por um deles. O mesmo acontece com um serviço ocasional, como um serviço de limpeza anual.
Ao usar algo ou o serviço de alguém apenas quando necessário, você não precisa lidar com as dores de cabeça ou os custos decorrentes de ter a propriedade do bem ou os custos de ter de empregar alguém. Custo como, por exemplo, seguros de carro e saúde, manutenção e problemas de RH.

2. Renda extra para provedores

Do outro lado da transação, um proprietário pode desbloquear o valor potencial de um bem que está subutilizado, como um veículo que fica a maior parte do tempo parado na garagem. Desse modo, você pode substituir ou complementar a renda que você ganharia em um emprego tradicional. Ao alugar sua casa ou bens, você pode ganhar renda passiva enquanto faz outras coisas – possivelmente coisas divertidas, como ir de férias.

3. Oportunidades novas e melhores

A economia compartilhada oferece acesso a coisas que talvez não sejam práticas de possuir ou obter. Por exemplo, muitas pessoas simplesmente não podem pagar um carro ou convencer um banco tradicional para estender um empréstimo pessoal. As redes pares permitem acessar essas coisas sem pedir aos participantes que paguem muito ou assumam montantes inaceitáveis ​​de risco.

4. Comunidades mais fortes

Muitas plataformas de economia de compartilhamento, como aplicativos de viagem e Airbnb, possuem avaliações e avaliações incorporadas que ajudam a manter os fornecedores e consumidores honestos. Os mercados de coworking e tarefas são baseados na idéia de colaboração interpessoal e compartilhamento de recursos. E algumas plataformas usam sua influência – e os recursos compartilhados de seus participantes – para ajudar os necessitados.
Por exemplo, de acordo com a TechRepublic , a Airbnb coordenou acomodações gratuitas para pessoas afetadas por catástrofes naturais e TaskRabbit experimentou a organização de voluntários em situações de crise. Esses e outros esforços de construção de confiança ajudam a compartilhar os participantes da economia a se verem como iguais, construindo relacionamentos construtivos onde não existia anteriormente.

O Futuro da Economia Partilhada

Embora as teorias sobre a economia compartilhada se multipliquem ninguém está realmente certo de como ela pode reorganizar a nossa sociedade e a nossa economia nos próximos anos. Mas a economia compartilhada promete alguns benefícios tangíveis que podem se tornar mais conhecidos à medida que mais pessoas participam como esses abaixo.

1. Maior flexibilidade no trabalho e na vida

Um resultado importante de uma sociedade construída sobre o compartilhamento de bens e serviços é a flexibilidade para fazer arranjos mais rápidos, com menos risco ou incerteza e, muitas vezes, em seus próprios termos. Como, por exemplo, se você precisa fechar ou mover seu negócio, o coworking (entenda mais ou menos como um local compartilhado onde pessoas vão trabalhar) permite que você se afaste do seu espaço atual sem se preocupar em quebrar um contrato de arrendamento ou deixar milhares de dólares na mesa. Os serviços de compartilhamento doméstico oferecem hospedagem sob demanda, com muitos dos confortos de casa, a um custo razoável. Crowdfunding permite que você levante dinheiro para uma nova idéia sem a intermediação de um credor tradicional. Do mesmo modo, como um provedor de viagem, um credor peer-to-peer ou participante em um mercado de tarefas, você tem a oportunidade de definir seu próprio horário de trabalho ou ganhar renda passiva. Isso pode ser atraente em comparação com os arranjos convencionais de emprego.

2. Mais formas de ganhar e economizar dinheiro

O consumo colaborativo oferece benefícios econômicos para todos os envolvidos. Se você estiver usando o seu carro como um veículo de viagem, alugando sua casa quando não estiver em casa ou participando de uma campanha de crowdfunding em troca de equidade, você está desbloqueando o valor em algo que você já possui. Se você estiver do outro lado desses acordos, você pode eliminar o custo da propriedade do carro, reduzir suas despesas de viagem e garantir um apoio financeiro valioso para uma nova idéia de negócios que talvez não tenha sido financiável de outra forma.
Outras funções de compartilhamento, como espaços de coworking e mercados de tarefas (aluguel de um habilidade ou serviço), podem ser mais baratas do que suas contrapartes tradicionais. Em todos os casos, a economia compartilhada economiza dinheiro ou fornece renda para seus participantes.

3. Menos preocupação com possessões e obrigações valiosas

Se você pode obter mais do que precisa através da economia de compartilhamento, você poderá viver uma existência mais enxuta que requer menos bens valiosos – e menos preocupações com eles. Por exemplo, se você mora em uma cidade e só precisa dirigir algumas vezes por mês, um carro pode ser desnecessário. Não ter que lidar com o seguro de carro, problemas de manutenção e ladrões potenciais pode ser um grande benefício. Da mesma forma, se você pode alugar ou compartilhar ferramentas ou equipamentos caros que você use apenas para projetos especiais, seu galpão de ferramentas ou garagem não será um alvo tão atraente para os ladrões.

4. Mais negócios adaptáveis

Apesar de sua crescente proeminência e crescimento contínuo, a economia compartilhada não deslocará completamente as redes econômicas tradicionais em breve. É mais provável que forçam as indústrias existentes a se tornar mais como as plataformas colaborativas que as desafiam, com potenciais benefícios para todos os envolvidos.
Por exemplo, em resposta à concorrência de empresas de viagens como Uber e Lyft, algumas empresas de táxis agora oferecem aplicativos que permitem que os seus passageiros os solicitem através de um aplicativo. A história das empresas existentes forçadas a se adaptar a concorrentes dinâmicos é antiga e familiar que muitas vezes beneficia os consumidores.

Economia Compartilhada Palavras finais

Como diz o velho ditado, a única certeza é a própria mudança. As últimas duas décadas viram um turbilhão de mudanças tecnológicas , desde um aumento dramático no poder de processamento, até a criação de uma rede global que permeia todos os aspectos de nossas vidas. Esses desenvolvimentos também criaram novos caminhos para a mudança social, permitindo que os manifestantes pró-democracia na África e na Ásia organizassem encontros de seus celulares e possibilitando que as pessoas trabalhem praticamente em qualquer lugar com conexão à Internet.
A economia de compartilhamento é um grande facilitador dessas mudanças, mas o final do jogo está longe de ser claro. Mais cedo do que mais tarde, você precisará se perguntar se você está pronto para intensificar e escrever o próximo capítulo na história de um planeta cada vez mais colaborativo ou você confia em outros para colocar as palavras certas na página?

Avaliação
Data
Item
Economia Compartilhada
Classificação
51star1star1star1star1star

Leave a Reply